na Zero Hora, dia 19 de março:

EXPOSIÇÃO
Porto Alegre lendária
no StudioClio reúne gravuras inspiradas por histórias e lendas locaisNo ano passado, nesta mesmíssima época, o grupo Aflecha homenageou Porto Alegre com gravuras sobre narrativas como as dos crimes da Rua do Arvoredo e de Maria Degolada. Constatando um terreno fértil, os artistas cavaram mais fundo o imaginário sobre a Capital – aquele ponto em que realidade e ficção se misturam – e levam ao StudioClio (José do Patrocínio, 698, 51 3254-7200), hoje, a segunda parte da saga. Devolvendo à cidade, como um espelho, as narrativas às quais serve de cenário, as imagens de Histórias e Lendas de Porto Alegre vão estampar também a fachada do casarão por tempo indeterminado.

Localizado em uma esquina movimentada da Cidade Baixa, o StudioClio quer virar um museu de rua. A ideia veio do projeto Macro-Micro, do artista Leandro Selister, que aplicou, por exemplo, detalhes de aquarelas de José Lutzenberger na fachada.

– Vamos explorar acervos da pictografia de Porto Alegre, alternando com projetos autorais. Assim, quando a Maria Tomaselli (artista e integrante do Aflecha) ofereceu este novo projeto, caiu como uma luva. É uma visão imaginativa da cartografia do imaginário de Porto Alegre, dá uma vida enorme para esses símbolos – diz Francisco Marshall, curador cultural do StudioClio.

Em uma parceria de Marshall com Gustavo Rodrigues, foram aplicados, na fachada, detalhes de gravuras do grupo em reproduções em alta definição. Abaixo de cada um deles, estarão dispostos a ficha técnica, um resumo da história que ilustram e uma reprodução da gravura na íntegra – como em qualquer museu, só que do lado de fora.

– Fizemos apenas oito lendas no ano passado, então quisemos completar com novas. Muitas delas as pessoas podem descobrir por conta própria, mas outras são pouco conhecidas, como a das catacumbas – conta Maria Tomaselli, sobre o subterrâneo de uma cervejaria que teria escondido equipamentos de rádio que enviavam informações para a Alemanha nazista.

Além de Tomaselli, participam com novas gravuras os artistas Cylene Dallegrave, Eda Lani Fabris, Lilia Manfroi, Mabel Fontana e Marcos Sanches (no ano passado, Paulo Chimendes e Rodrigo Pecci completaram o time). O público que comparecer ao lançamento, hoje, às 11h, no StudioClio, poderá conferir, do lado de dentro, os álbuns com a nova série de gravuras e adquirir um pequeno livro com a reprodução dos trabalhos de 2010 e 2011, junto com os textos das lendas (no ano passado, narradas pelos próprios artistas e, este ano, pelo escritor Arnaldo Sisson).

– Não chamaria nem de livrinho. É um cataloguinho – brinca Tomaselli. – A ideia veio de uma sugestão de colégios que visitaram a exposição do ano passado, no Shopping Iguatemi.

Que melhor maneira há de celebrar o aniversário de 239 anos de Porto Alegre senão convidar para a festa os fantasmas de seu imaginário?

 

FÁBIO PRIKLADNICKI

 

flashes da montagem noturna:

 

montagem aflecha no studioclio

montagem-aflecha no studioclio

montagem-aflecha no studioclio

montagem-aflecha no studioclio

 

pronto e inaugurado:

aflecha-clio

aflecha-clio

aflecha-clio

aflecha-clio

aflecha-clio

aflecha-clio

aflecha-clio

 

 

imagens do álbum:POA 2011:

Eda Lani

Eda Lani

 

Marcos Sanches

Marcos Sanches

 

Maria Tomaselli

Maria Tomaselli

Cylene Dallegrave

Cylene Dallegrave

Lilia Manfroi

Lília Manfroi

Mabel Fontana

Mabel Fontana